vendas na prática

Pare de passar vergonha no Linkedin

Escrito por Murillo Leal

Eu acredito que o Linkedin já é uma das minhas redes prediletas. Eu a olho praticamente todo dia e várias vezes.  As razões são diversas.

Primeiramente, é um local de encontrar bons conteúdos direcionados e segmentados por assuntos e também é uma ótima maneira de ficarmos por dentro daquilo que os profissionais do nosso setor estão discutindo, compartilhando e vivendo dentro das suas vidas pessoais e do seu mercado.

O Linkedin deixou de ser um local de para depositar currículos. Já faz muito tempo. Portanto, você precisa entender que agora, a rede está focando em em conteúdo e já considerada uma plataforma de negócios. Por isso, algumas recomendações são importantes para você não estar completamente fora.

Cuide da sua mensagem inicial (e das outras também)

Diariamente, eu me deparo com mensagens de pessoas que me adicionaram ou que começaram uma nova conexão comigo. Eu sei da importância de todos saberão quais são seus serviços, ofertas e habilidades, mas eu, particularmente, tendo a ignorar pessoas que dão a entender que querem apenas me vender algo ou usar dessa conexão para me oferecer.

Eu não imagino alguém encontrando pessoas em um elevador e sair distribuindo cartões e falando sobre si, sobre sua profissão, tentando vender sua empresa para quem apenas até dividindo o mesmo espaço.

Precisamos aprender que em uma rede social é a mesma coisa. Não adianta colar um texto qualquer na mensagem ou realizar uma espécie de anúncio no envio e acreditar que está deixando claro para sua conexão o que faz da vida.

Antes de sair tentando forçar uma venda, uma apresentação, que tal começar tentando criar uma relação mínima? Mesmo em uma rede social que é propícia para negócios, seja educado e conquiste a confiança das pessoas antes de sair oferecendo qualquer coisa que seja.

Estude de verdade o negócio da sua conexão e não seja genérico

Talvez você leia a frase acima e pense: Bem, realmente não tenho tempo para estudar todos os negócios de todas as minhas conexões.

Bom, então vamos voltar um passo atrás. Que tal solicitar conexões apenas de pessoas que tenham alguma espécie de empatia? Vejo muita gente na rede orgulhando-se de ter milhares de conexões como quem tem uma lista enorme de prospects. A verdade é quanto mais próximo de empatia de negócios você tiver com sua rede, melhor será para você.

Não podemos mais simplesmente mandar aquela mensagem genérica. Analisei boa parte das que recebo e é sempre a mesma estrutura:  Todas elas iniciam falando da gratidão pela conexão, tentam uma abertura se colocando à disposição para ajudar-me no meu negócio – sendo que boa parte nem sabe direito o que faço e como pode me ajudar.

A maioria deles não sabem absolutamente nada sobre como seria possível me ajudar. É preciso aprender a criar valor para  realmente angariar um engajamento real. Alguém só estará disposto a conhecer mais sobre você se for capaz de demonstrar  algo diferente durante uma conversa

Nunca venda diretamente no Linkedin se ninguém te perguntou

Um dos erros mais equivocados que muita gente comete por lá é não levar em conta que é uma rede social e que elas devem ser movidas por publicações e conteúdos que conversem com as pessoas de maneira humanizada.

Não adianta nada fazer aquelas longas descrições de produtos, nem listar as suas ofertas de serviços. Não é dessa maneira que conseguirá transformar os leads frios em oportunidades reais. Você não agenda reunião com pessoas a partir apenas do que elas oferecem nos seus catálogos.

Deixe de lado uma abordagem cheia de informações, links e materiais institucionais. Preocupe-se em criar uma relação de necessidade para que possa realmente ir para o estágio da oferta. Ninguém gosta de spam e muito menos compra de pessoas que não confiam.

Quando você faz spam no LinkedIn, está demonstrando uma grande falta de tato para com a manutenção de relação diante do novo jeito de vender. A abordagem da internet devem sim ao máximo tentar levar para outros canais como uma ligação, uma videoconferência ou em alguns casos um encontro físico mesmo. Apesar disso, ninguém quer se encontrar com pessoas malas. Pense nisso na hora de abordar no Linkedin.

A melhor maneira de usar a rede

Estamos vivendo a era da ausência de gente. Por isso, quanto mais humanizado você for, mais terá a capacidade de aproximar pessoas de você na internet.  O poder de uma rede como o Linkedin está não no seu tamanho, mas na qualidade das suas conexões e a profundidade de relação que você consegue desempenhar nela.

A melhor forma de estar presente por lá é que as pessoas a encontrarem, mas se você é um iniciante, saiba que é lá que estão todos os decisores das maiores empresas do mundo.

Como vendedor, não levar a sério uma rede feita para negócios entre empresas é ignorar um potencial gigantesco. Não acredito que precise ser um agente secreto de vendas no Linkedin, mas se é para realizar negócios por lá, que seja para fazer isso da maneira certa.

Da mesma forma que quanto mais você aprender sobre ela e entende como ela pode ser útil, quanto pior for sua utilização – ou pior a sua falta de interesse em aprender a usar – menos valioso será o seu valor ou o valor da sua empresa para seu cliente.

Use de maneira inteligente, use como se você fosse um cliente e estará em bons caminhos.